Depressão, 13 reasons why, Bullying, Respeito…

Depressão, bullying, assédio, adolescência, desafio da baleia, machismo, vida escolar, entre outros… são temas que estão sendo super discutidos no momento. Machismo vou deixar para um próximo post porque vai além do que caberia aqui, na minha opinião.

Esses temas são delicados, são difíceis de conversar com os filhos? Eu não sei. Na minha casa sempre tivemos uma conversa bem aberta sobre tudo, minha mãe conversava comigo e conversa com meu irmão tranquilamente sobre tudo que perguntamos e escuta nosso ponto de vista e nos coloca o dela.

Tenho uma preocupação gigantesca com meu irmão, ele tem 10 anos e é super antenado em todas as redes sociais, Youtube e sabe mais das notícias do que eu. Me vejo no papel de conversar com ele sobre esses temas “polêmicos” e tentar aconselhar sempre que possível ser gentil com o próximo e contar tudo que o incomoda para que possamos ajuda-lo.

e117822ee765cbd9f8cd699bc4a31d94                                                                                (Fonte: Pinterest)

A série 13 Reasons Why surgiu do livro Os Treze porquês do Jay Asher. Eu já li o livro e fiquei super incomodada ao final da leitura, mas amei. Comentava com todos meus amigos sobre ele, porque eu realmente acho que é um livro que levanta temas que precisam ser discutidos na sociedade, agora, com a série e toda essa repercussão que está dando é uma ótima abertura pras pessoas verem como suas atitudes afetam de maneira direta e/ou indireta as pessoas ao seu redor.

Vendo a série fiquei super intrigada com a história e achei sensacional como a Selena e toda a produção conseguiram transformar a história do livro em algo tão comovente, tão real, eles conseguiram retratar, acho, que exatamente o que o autor queria quando escreveu o livro. Não sei vocês, mas eu consegui me ver em várias cenas como Hanna, como Jess, como Alex e outros personagens. Eu chorei,  eu ri, eu fiquei com friozinho na barriga, fiquei perturbada, senti injustiça e vontade de fazer justiça em vários momentos da trama, mas ao sentir tudo isso também parei pra pensar na sociedade em que vivo e como tudo isso é real.

Se só vendo e lendo eu já senti tantas misturas de sentimentos, imagina quem sofre as ameaças, quem vive com depressão, quem não vê outra saída além do suicídio. A série aborda esse tema e chama atenção pro fato de como a Hanna lidou com suas angustias, seus medos, suas tristezas, mas e as outras Hannas? As Hannas da vida real que, além do bullying e da depressão desencadeiam outros tipos de doenças como ansiedade, insônia, pânico, bipolaridade e diversas outras doenças psicológicas?! Não se pode fingir que não há nada acontecendo, é preciso estender a mão e ajudar meninas/meninos/homens/mulheres que passam por isso. A sociedade não é boazinha e a sociedade é feita de pessoas como eu, como você, como nossos vizinhos, parentes e conhecidos.

Acredito que nada vai mudar de uma hora pra outra, mas a conversa precisa existir, o diálogo, as palestras nas escolas, nas empresas, os pais ensinando seus filhos o que é respeitar o próximo. As palavras que resumem esses acontecimentos são falta de RESPEITO e EMPATIA na nossa sociedade.

Respeito significa ter consideração pelo próximo. Empatia significa se colocar no lugar do outro e sentir como ele se sente. Ou seja, essas palavras querem dizer: não faça com o outro o que você não quer que façam com você.

09428445abc59c10035c8041497e7809                                                                      (fonte: Pinterest)

Empatia é uma habilidade mais difícil de se praticar, mas o respeito é uma coisa que aprendemos desde sempre, que escutamos toda hora. O tempo já acabou pra deixar ele lá, esquecido dentro do armário, respeitemos as pessoas para sermos respeitados. Isso só vai fazer bem para nós mesmos. Não há mais espaço para um lugar onde o respeito não exista.

d5c18f928b3555d42574e6e51b985a7b                     (Fonte: Pinterest)

Pratique o respeito na escola, no parque, no cinema, no elevador, em casa, na rua, no trabalho, no avião, no trânsito, na faculdade, no shopping, na praia, no campo, no futebol, na fila, em qualquer lugar que você esteja e ensine para as pessoas o que essa palavrinha mágica pode fazer. Você será mais feliz, as pessoas ao seu redor se sentirão melhor, o mundo será um lugar mais gentil para viver e as Hannas se sentirão mais acolhidas e viverão.

As doenças psicológicas são tão perigosas como as físicas, não tampem os olhos para isso.

Transição…

e1c678d40e107c84b50a19631b01e019

Eu não tenho mais tempo pra passar horas no espelho imaginando que corte de cabelo ficaria melhor com o formato do meu rosto. Não fico horas e horas antes de dormir imaginando a roupa da festa do próximo final de semana. Não janto mais com minha família e conversamos como foi o dia de cada um. Não sento mais no chão da sala e brinco com minha cachorra sem me preocupar com o tempo.

Hoje, eu tenho responsabilidades que sugam grande parte do meu tempo, tento me organizar do melhor jeito possível para conseguir fazer tudo que quero e sim, eu conseguiria fazer tudo, têm alguns horários em branco no meu planejamento, mas, hoje, não tenho disposição, o cansaço me consome, quando vejo um tempo livre, agradeço esse espaço que posso ficar jogada na cama pensando em nada, sendo a minha única preocupação não ocupar minha mente com nada que me faça pensar demais.

Esses dois primeiros parágrafos pareceram meio tristes para vocês? Vocês que estudam, trabalham, namoram e tentam manter uma vida social ativa se sentem assim também, ou é drama? Já ouvi muito isso!

Quanto tempo a faculdade, os estudos… (sim, faculdade e estudos são coisas muito diferentes! Faculdade são aquelas 4/5 horas que você passa em um ambiente universitário, estudos são aquelas infinitas horas que você tenta ler a matéria da aula anterior, fazer uns exercícios para a próxima aula, tenta entender uma teoria que o professor explicou 2 vezes em sala e que você não conseguiu pegar o raciocínio) … o trabalho, o namoro, as amizades, as responsabilidades tomam quanto tempo na sua vida? Na minha vida, tudo isso que eu citei, toma todo o tempo e eu me sinto sufocada muitas vezes por ter muitas coisas pra fazer, por não querer fazer nenhuma delas, mas saber que fui eu mesma que escolhi isso para mim e quero faze-las. Contraditório, não?

Sempre ouvi falar que a adolescência é uma das fases mais difíceis da vida, mas a transição adolescente-adulto pra mim está sendo muito mais. Eu preciso me preocupar com o trabalho, com os estudos e com a vida pessoal e 24h não são suficientes. Precisaria de menos cobranças, mais descanso, mais empatia das pessoas, uma sociedade mais calma, com menos pressão nos jovens expondo a necessidade de ficar economicamente estável antes dos 30 e ganhar o mundo.

Vamos com calma, por favor. Vocês de 60 anos são os novos 50 de 20 anos atrás, por que eu preciso ser o novo 40 de 30 anos se tenho apenas 20 e poucos? Nos ajudem a nos tornarmos aquilo que queremos ser e não aquilo que é socialmente definido anos a fio.

Deixa eu ter calma, não me cobre tanto, eu já me sinto assim diariamente. Confia em mim… Nós vamos conseguir ser aquilo que vocês desejam, e, o mais importante, aquilo que queremos ser.

 

 

 

O que nos tornamos?

2.0.1.5. O que foi esse ano?

Foi um ano cheio de surpresas, desafios, sabedorias, choros, perdas, ganhos, experiências, títulos, brincadeiras, amigos, família, sucesso, desapegos, brigas, amores, emoções, verdades, trabalho, conquistas e descobertas.

Cada ano que passa,  nossa vida nos traz novas experiências, objetivos e sabedorias novas. E faz parte de cada um saber aproveitar o que foi bom e descartar o que não trouxe e nem trará nenhum beneficio. Todos os anos nos servem de aprendizado e devemos acatar cada um deles para o nosso currículo da vida.

A gente sempre espera demais das pessoas, dos anos que virão, da vida e esquecemos que a peça chave para que tudo na vida mude somos apenas nós mesmos. É importante ter pensamento positivo? Lógico que é, mas só ele não é capaz de mudar as coisas. Precisamos olhar para o futuro e ver o que queremos e assim ver o que fizemos no passado e estudar o que é preciso mudar para que os nossos planos do futuro se consagrem.

Fazer uma retrospectiva do ano e dos últimos meses é interessante, assim conseguimos observar tudo o que passamos, tudo o que vivemos, cada pessoa que entrou na nossa vida, cada pessoa que se foi, cada objetivo conquistado, cada vitória, cada amor, cada sabedoria e, hoje, cada atitude que tomamos para nos tornamos o que estamos sendo e o que seremos nos próximos anos. Até porque, hoje somos resultado do passado, mas podemos ser o produto que quisermos no futuro. 

Eu gosto muito de olhar pra trás e ver o que mudou, o que eu me tornei e se eu gosto do resultado de hoje, acho importante todo mundo olhar pra sí próprio e ver se está gostando da pessoa que você se tornou, assim da pra saber o que é preciso melhorar ainda mais, o que é preciso voltar atrás e, consequentemente,  se esforçar para ser uma pessoa melhor. Todos querem ter por perto uma pessoa boa do lado, uma companhia legal, então por que não nos tornarmos essa pessoa?!

 

 

Vida, me explica o que ta acontecendo?!

Geeente, eu sei que eu estou muuuuuuito sumida, tipo mesmo! Eu estou sentindo a maior falta de postar aqui no blog toda semana e visitar os blogs que eu gosto e comentar, curtir, expor minha opinião, mas é que realmente minha vida ta uma loucura, é TCC pra lá, professor rabugento pra cá, briga do grupo da faculdade, trabalho, família, amigos, namoro e algumas viagens pelo caminho.

Eu prometo que assim que essa doidera de Tcc finalizar eu volto com tudo aqui pro blog. E uma dica, se você ta perto do Tcc, se prepare pra tudo e mais um pouco, você vai viver querendo dormir e que isso acabe logo! Se você já passou por isso, estou te invejando muuuuuito.

Mas tem uma coisa que é engraçado no meio disso tudo, é tanto trabalho, tantas brigas, tantas noites mal dormidas, tantos capítulos refeitos, texto reescritos pq a gente sempre acha que pode fazer um pouquinho melhor, tanta expectativa, para no fim a apresentação durar 20 minutos, a banca te avaliar e ai acabou! Um ano/semestre(no meu caso) inteiro resumido em tão poucos minutos, em opiniões diferentes de professores, em um nervosismo enorme e em uma satisfação e orgulho que não da pra explicar por ter concluído um projeto de 4 anos.

Essa semana foi super estressante para mim, eu faço TCC com mais 10 pessoas e quando a gente acha que isso é bom porque todo mundo vai ajudar, ha ha ha, coitadinhos, quanto mais pessoas, mais opiniões, mais palpites, mais ideias, mais confusões, mais brigas, mais noites mal dormidas e mais integrantes que somem quando você mais precisa da ajuda deles, maaas… eu sobrevivi por tudo isso e agora quem causou foi um querido professor, mas tenho fé que semana que vem será melhor.

Eu realmente quero acabar logo com esse trabalho, quero me ver livre do Tcc, quero poder dizer que sou uma publicitária formada, mas ao mesmo tempo to com aquele medinho de “e no ano que vem, como vai ser? Eu só vou trabalhar? Passou tão rápido a época da faculdade, ai meu deus, e agora?!” É muito estranho pensar nesse futuro incerto, assim como foi quando sai do colégio, mas agora parece que eu realmente vou virar adulta e parece que vai ser de um dia pro outro quando eu acordar e não tiver mais aula pra ir, só que na verdade essa pessoa adulta que a gente se torna é no caminho desses anos todos.

Eu sempre disse que não tive a crise dos 20 anos, mas acho que a minha ta aparecendo agora com quase 22, é, ela me encontrou.  Eu acho que crises são importantes, elas nos mostram novas possibilidades, como agimos em momentos desconhecidos e, o mais importante, o aprendizado que elas nos trazem. Acho que daqui alguns meses vou reler esse post e pensar como eu era bobinha, e assim vou conseguir ver o quanto eu cresci e aprendi com essas vivências.

Estava morrendo de saudades de escrever aqui e espero que eu consiga continuar compartilhando, pelo menos um pouquinho, do que eu to passando com vocês.

Beijinhos e até mais :* ❤

Último primeiro dia de aula!

A primeira vez que eu passei por essa situação foi no meu último ano da escola, foi um sentimento estranho que envolvia medo, ansiedade, preocupação, felicidade e um pouquinho de orgulho. Até porque eu me formaria em menos de um ano e assumiria finalmente a vida adulta, faculdade, responsabilidades e tudo mais que você assume quando sai da bolha de segurança que é a escola.

Hoje eu estou há um dia do meu segundo último primeiro dia de aula, mas dessa vez é um pouquinho diferente porque é o meu último primeiro dia de aula da faculdade, ou seja, estou no último semestre do curso de Publicidade e Propaganda e tudo isso me apavora um pouco, mas por que?

Porque a faculdade sempre foi um objetivo de vida quando sai do colégio e agora esse objetivo está prestes a ser concluído e bate um medinho de não saber ao certo como será ano que vem. Medos são bons para nos avisar e nos tirar da nossa área de conforto e eu acredito que esse projeto, o curso de PP, será um objetivo muito bem concluído com ótimas lembranças, ótimos conhecimentos, alguns prêmios de trabalhos reconhecidos pela excelência do mesmo.

O que eu quero dizer, é que nesses três anos e meio eu cresci muito, aprendi muito e vi o quão importante é passar por fases que não sabemos ao certo como será, não sabemos se teremos força de vontade para ir até o fim, se nossos interesses serão os mesmos até o fim do percurso, não sabemos o que nos tornaremos e, o mais importante, não saberemos o rumo que nossas vidas irão tomar, por isso digo que decisões são importantes e coragem para toma-las mais ainda!

Hoje eu olho pros quase 4 anos atrás e digo que teria mudado muitas coisas, mas que não me arrependo de nada que fiz, porque essas coisas me fizeram crescer, aprender e me tornar quem eu sou hoje.

Essas experiências estarão pra sempre comigo e todo o stress, apertos, brigas e todas as coisas que passei durante esse curso eu vou guardar com muito amor e carinho, agora que vai começar meu último semestre estou com o sentimento de saudades sem nem mesmo ter acabado essa fase.

Espero que seja um semestre de muito trabalho, muita campanha boa, muito conhecimento, muitas lembranças eternas, muitas amizades que irão além da faculdade e muita coragem pra iniciar uma nova fase da vida.

Beijinhos e coragem pra você que também vai começar um novo semestre com várias incógnitas pela frente. :*

De estímulo para o nosso dia:

          A vida é assim:

          esquenta e esfria;

          aperta daí afrouxa;

          sossega depois desinquieta.

          O que ela quer da gente é coragem.

                                                                                                                                                                          -Guimarães Rosa