Transição…

e1c678d40e107c84b50a19631b01e019

Eu não tenho mais tempo pra passar horas no espelho imaginando que corte de cabelo ficaria melhor com o formato do meu rosto. Não fico horas e horas antes de dormir imaginando a roupa da festa do próximo final de semana. Não janto mais com minha família e conversamos como foi o dia de cada um. Não sento mais no chão da sala e brinco com minha cachorra sem me preocupar com o tempo.

Hoje, eu tenho responsabilidades que sugam grande parte do meu tempo, tento me organizar do melhor jeito possível para conseguir fazer tudo que quero e sim, eu conseguiria fazer tudo, têm alguns horários em branco no meu planejamento, mas, hoje, não tenho disposição, o cansaço me consome, quando vejo um tempo livre, agradeço esse espaço que posso ficar jogada na cama pensando em nada, sendo a minha única preocupação não ocupar minha mente com nada que me faça pensar demais.

Esses dois primeiros parágrafos pareceram meio tristes para vocês? Vocês que estudam, trabalham, namoram e tentam manter uma vida social ativa se sentem assim também, ou é drama? Já ouvi muito isso!

Quanto tempo a faculdade, os estudos… (sim, faculdade e estudos são coisas muito diferentes! Faculdade são aquelas 4/5 horas que você passa em um ambiente universitário, estudos são aquelas infinitas horas que você tenta ler a matéria da aula anterior, fazer uns exercícios para a próxima aula, tenta entender uma teoria que o professor explicou 2 vezes em sala e que você não conseguiu pegar o raciocínio) … o trabalho, o namoro, as amizades, as responsabilidades tomam quanto tempo na sua vida? Na minha vida, tudo isso que eu citei, toma todo o tempo e eu me sinto sufocada muitas vezes por ter muitas coisas pra fazer, por não querer fazer nenhuma delas, mas saber que fui eu mesma que escolhi isso para mim e quero faze-las. Contraditório, não?

Sempre ouvi falar que a adolescência é uma das fases mais difíceis da vida, mas a transição adolescente-adulto pra mim está sendo muito mais. Eu preciso me preocupar com o trabalho, com os estudos e com a vida pessoal e 24h não são suficientes. Precisaria de menos cobranças, mais descanso, mais empatia das pessoas, uma sociedade mais calma, com menos pressão nos jovens expondo a necessidade de ficar economicamente estável antes dos 30 e ganhar o mundo.

Vamos com calma, por favor. Vocês de 60 anos são os novos 50 de 20 anos atrás, por que eu preciso ser o novo 40 de 30 anos se tenho apenas 20 e poucos? Nos ajudem a nos tornarmos aquilo que queremos ser e não aquilo que é socialmente definido anos a fio.

Deixa eu ter calma, não me cobre tanto, eu já me sinto assim diariamente. Confia em mim… Nós vamos conseguir ser aquilo que vocês desejam, e, o mais importante, aquilo que queremos ser.

 

 

 

Livro: Não sou uma dessas

Não sou uma dessas-Lena Dunham-Editora Intrínseca-MLNET

Esse mês eu comecei um livro que eu estava bem curiosa para ler, ouvi falar muito bem e muito mal dele e então decidi comprar.

É o Não sou uma dessas da Lena Dunham, pra quem não conhece a Lena, ela é a criadora, roteirista e atriz principal do seriado Girls da HBO. Conheci ela assistindo a série e por mais que eu ache as vezes as histórias muito voltadas para ela, eu gosto bastante.

Eu ainda estou no primeiro capítulo e, sinceramente, não gostei muito até aqui. O primeiro capítulo é sobre ela falando das relações amorosas dela e em todas as histórias ela fala sobre sexo, tudo parece que é voltado para o sexo e eu não gostei muito disso, acho que poderia ter sido abordado de uma maneira diferente.

O livro fala sobre as experiências que ela viveu e as coisas que ela aprendeu até hoje na vida dela. Muitas vezes consigo perceber como ela é parecida com a personagem que ela faz na série da HBO. E não sei se é porque não consigo me identificar em nada com ela, que estou achando o livro meio chato e com várias coisas sem sentido para mim, mas acho que quando a gente procura ler um livro sobre experiências de outras pessoas elas tendem, exatamente, a não ser o que esperamos que elas sejam.

Eu, particularmente, gosto bem mais quando consigo me identificar com o personagem do livro, mas preciso aprender a ler coisas que não concordo também e por isso vou ler até o fim, quem sabe não me surpreende, né? Até porque estou indo pro segundo capítulo ainda. (ps: que começa na pág 103, então até que já li um pouquinho pra estar falando tudo isso hahahha).

Vocês já leram? Gostaram? Me contem!!!

Beijinhos :*

 

Pontos negativos de um Intercâmbio

Eu fiz um post há um tempinho atrás falando sobre os pontos positivos de um intercâmbio e achei que fiquei devendo um post sobre os ponto negativos, até porque fazer uma viagem pra fora e ficar sozinha em outro país não é assim tão fácil.

 Saudades

Gente, da muita saudades da família, dos amigos, do namorado, da nossa casa, das coisas que estamos acostumados a fazer no dia a dia. É uma saudade que eu não conseguia segurar e, confesso, que desligava o skype, principalmente, com a minha mãe a caia no choro. Chorava muito, ligava toda hora, mandava mensagem e vivia falando com meus parentes, amigos e namorado o tempo inteirinho.

A hora que mais batia essa saudade era quando eu chegava em casa e quando eu ia dormir, mas aprendi a lidar com isso, infelizmente, na marra e deu tudo certo.

 Comida

Eu fiquei em casa de família, então tomava café da manhã e jantava em casa. infelizmente, eu sou muuuito chata pra comer, e a minha família cozinhava umas coisas bem estranhas. O café da manhã eu geralmente só comia banana ou pão de forma com manteiga e suco de laranja de garrafão porque o que eles preparavam não estava na minha lista de comidinhas comíveis as sete horas da manhã: ovos com bacon, hambúrguer de peixe com um molho estranho, wrap (esse eu comia quando era de frango)  salsicha com ovos mexidos, hamburguer normal, e tinha um outro prato que eu nunca identifiquei.

Na janta sempre era arroz (sem tempero), alguma salada e uma carne de porco, eu não gosto de carne de porco, então comia basicamente arroz, salada e alguma outra mistura que tinha. Algumas preciso confessar que eram ótimas, mas a maioria eu ficava tensa na hora da janta. Uma vez tinha peixe, mas o problema é que o peixe tinha escamas. Imaginem isso! 😦

No path (cidade subterrânea que tem em países que há muita neve) embaixo da minha escola tinha um tipo de praça de alimentação, então eu almoçava bastante lá quando tinha que ser rápido, ou tava nevando muito, ou por algum outro problema que não desse pra sair na rua. La a maioria dos restaurantes eram de comidas orientais, ok, eu gosto de comida japonesa, mas lá não era comida japonesa que estamos acostumados a comer aqui no Brasil, eram uns pratos estranhos e que eu sofri pra comer. Nas últimas semanas achei um restaurante que servia wrap, comia wrap quase todos os dias.

Pra vocês terem um ideia, eu emagreci 7 (sete) kilos em um mês!

IMG_0087

IMG_0207

Transporte

Lá tudo que você for fazer é de transporte público, então se você quer ir ao shopping, não compre muitas coisas, porque se não, você não aguenta segurar todas as sacolas e seus braços vão doer muuito no trajeto até chegar em casa!

A minha maior tristeza foi ir em uma outlet e não poder comprar mais coisas porque não aguentava mais a dor das sacolas nos meus braços.

E se você for baladeiro, se prepara! O metrô fica aberto só até 00h e abre somente as 9hrs do dia seguinte. Morria de medo de chegar tarde em casa, o último ônibus que passava perto da minha casa passava as 22:30hrs e nem um minuto a mais, ou seja, se perdesse o ônibus das 22:30hrs ia precisar arrumar um taxi ou rezar muito.

Uma coisa que eu achei engraçado, é que o pessoal usa o transporte público pra tudo, então é super comum ver bicicletas, carrinhos de bebê, equipamentos de hockey dentro dos ônibus e dos vagões.

Ps: Toronto anoitece umas 17hrs no mês de janeiro/fevereiro e depois que anoitece a cidade fica deserta, eu não via quase ninguém na rua, achei isso bem diferente nos primeiros dias, mas depois eu entendi, quem vai querer ficar na rua quando ta -20 graus?! Faz super sentido.

 Compras

Como disse no item acima, é bem complicado fazer compras quando você tem que andar o shopping inteiro com milhões de sacolas e depois andar de transporte público com as mesmas.

Outra coisa que é terrível, é quando a gente entra nas lojas com um milhão de sacolas e a loja é apertada. Não conseguia ver as roupas direito pq precisava segurar as sacolas e ficava trombando com as pessoas o tempo todo.

Provar roupas era uma coisa meio complicada também, não sabia exatamente qual era meu número de calça e precisava pegar uns três tamanhos até acertar o meu número.

Uma dica: Quando for em outlet, leve uma mala de rodinhas! É o melhor jeito de poder comprar tudo que você quer e conseguir levar pra casa depois e não se machucar.

 Roupas de Frio

Roupa de frio é lindo, da um up no visual, mas usar duas/três calças, umas 5 blusas, cachecol, luvas, três meias e toca todo santo dia não é uma tarefa muito fácil. Eu precisava começar me arrumar no quarto e terminar de me arrumar no hall da sala antes de sair.

Dentro dos ambientes era bem quente, temperatura normal, por volta dos 25 graus, então quando eu entrava nos lugares precisava tirar minhas milhões de blusas, toucas, luvas e cachecol e quando eu ia sair dos ambientes fechados, todo o ritual novamente. Era um tira e põe de roupa que cansava.

Além desse tira e põe de roupas, quando a gente entrava nos lugares eu colocava minhas roupas dentro de uma mochila que eu andava pra cima e pra baixo com ela, até ai ok, o ruim era quando as roupas não cabiam na mochila e eu precisava ficar carregando na mão, e isso geralmente acontecia nos shoppings. Era um terror experimentar roupa com várias roupas no corpo. Demorava umas três vezes mais pra sair do provador e muitas vezes isso me fez comprar roupas sem experimentar.

 Controle Financeiro

Se você não sabe lidar com o dinheiro, é bom fazer um teste antes de viajar. Lá você precisa ter muito controle com seus gastos ou você terminará sua viagem sem um centavo no bolso.

Nesse quesito eu não sofri muito, sempre soube lidar bem com isso, mas vi algumas amigas passando sufoco por comprar muitas coisas no início da viagem e no fim não ter quase dinheiro pra almoçar.

Independência

Lavar louça, arrumar o quarto, limpar o quarto, lavar roupa, passar roupa, cuidar das suas coisas. Você já fez tudo isso sem a ajuda de ninguém? Se não, é melhor ir se preparado pra fazer! Felizmente na minha casa eu só precisava cuidar do meu quarto, o resto a minha querida mãe canadense fazia. Ela lavava roupa de sábado e devolvia na segunda feira, porém ela não passava roupa e nem tinha ferro de passar, então eu usava as roupas amassadas ou passava com o secador, isso era bem chato de fazer.

O que passava muito na minha cabeça era: e se acontecer alguma coisa que eu não saiba me virar sozinha, como minha mãe vai me ajudar? Pois é, ela não vai! Então, se eu me via em um situação que aqui em casa eu ligaria pra minha mãe e ela rapidamente resolveria pra mim, isso não aconteceria lá. Uma coisa foi boa porque aprendi na marra me virar sozinha, mas isso me amedrontava um pouco.

IMG_0290Ps: Essa era a vassoura e a pá que eu usava pra limpar meu quarto, era minúscula e parecia de bruxa hahahahha

Carência

As pessoas não se abraçam no Canadá! Eu chegava em casa querendo um abraço, um carinho, um colo e não tinha isso! Fiquei muito carente e sempre que podia ligava pro meu namorado e pra minha mãe com a tentativa que eles matassem essa carência dentro de mim, eles faziam o possível, mas nada melhor que um abraço de verdade pra curar esse sentimento dentro da gente, e o melhor sentimento do mundo foi quando cheguei no aeroporto e eles estavam todos lá com muito carinho pra me dar.

Frio

O frio é relativo se é um ponto positivo ou negativo, eu escolhi um lugar gelado pra ir e amei! Mas precisei ficar bem espertinha pra não congelar alguns membros, como a ponta do nariz, a orelha, os dedos e os cílios.

Um dia fui em um parque e minha bota acabou molhando por causa da neve e meu pé ficou encharcado, esse dia foi bem complicado e eu passei muito frio.

Sempre que eu tirava alguma peça de roupa em ambientes abertos era por muito pouco tempo, caso contrário, eu começava a sentir dor de tanto que doía.

Acho que vou parar esse post por aqui antes que alguém desista de viajar! Brincadeirinha!

Mesmo fazendo um post com os pontos negativos, vocês podem reparar que muitos itens são os mesmos que o post dos pontos positivos e por que isso? Porque mesmo sendo coisas negativas a gente acaba aprendendo e crescendo com essas dificuldades e no futuro se tornam aprendizados para toda a vida.

Eu amei cada minuto da minha viagem e recomendo muito uma experiência dessa. Saiba qual é seu limite, se você é uma pessoa apegada a sua família, mas quer um intercâmbio, faça como eu, viaje apenas um mês e faça um teste. Já, se você acha que aguenta ficar um ano fora, seja corajoso e vai com fé. Toda experiência é válida!

Espero que tenham gostado desse post e se tiverem alguma dúvida ou qualquer outra coisa deixe no comentário que a gente conversa.

Beijinhos :*

Pontos positivos de um intercâmbio

Pra quem já fez um intercâmbio sabe como é a sensação de tudo ser novo, novas pessoas, nova língua, novos lugares, novas experiências.

Vou falar um pouquinho sobre a minha percepção dos pontos positivos de uma viagem com o intuito de aprendizado.

1.Liberdade

Primeiro de tudo a liberdade que você adquire é sensacional, você está ali e não tem ninguém pra te controlar, é você por você e só.

2.Lugares Incríveis

Eu amei conhecer os lugares, são lugares maravilhosos que acredito que lembrarei pra sempre, a gente descobre lugares e se apaixona logo de cara.

3. Pista de Patinação

Se você for viajar para um lugar frio e que tenha neve, por favor vá patinar no gelo! É muito diferente das pistas artificiais que temos aqui no Brasil. Confesso que cai algumas vezes, mas a sensação é maravilhosa. Na pista que eu fui ela era completamente aberta e tinha uma playlist maravilhosa, por mim eu iria todos os dias lá.

4.Compras

Como eu fiz compras nessa viagem! Todo dia voltava pra casa com alguma coisa nova, comprava coisas pra mim, presentes pra minha família e muita novidade que não poderia comprar aqui no Brasil. São produtos exclusivos e baratos. Chegava em casa muitas vezes com os braços doendo de tantas sacolas. Que saudades!

5.Comida

Eu sou muito chata pra comer, e mesmo assim fiquei apaixonada pelos restaurantes do Canadá! Confesso que odiei algumas comidas que minha família preparava e por vários dias comi banana e torrada. A variedade de comidas que tinha lá era surreal, tinha comida típica de todos os países e, particularmente, experimentei quase todos Fast Foods americanos e fiquei maravilhada, o Mc e o KFC pra mim foram os melhores da vida. A poutine, uma comida típica canadense é sensacional também, uma batata frita com molho especial canadense e queijo. Gostei muito de um restaurante de Pizza la de Toronto que tinha praticamente em casa esquina, O Pizza Pizza, a pizza era uma delicia e eu comi muuuuito.

Por último, o Tim Hortons. Minha cafeteria preferida! Eu tomava café todos os dias lá! o chocolate quente é o mais gostoso de todos e os donuts os melhores, meus preferidos era a beagle com cream cheese e a Boston.

6.Pessoas

Todas as pessoas que conheci que eram nativas foram muito atenciosas. Eu sou muito atrapalhada e sempre pedia ajuda e não teve um canadense que se recusou a me ajudar, fiquei maravilhada com isso e achei muito fofo.

Conheci muitos brasileiros e coreanos, todos muito simpáticos e fiz algumas amizades que mantenho contato até hoje!

7.Experiências

Acredito que isso foi o que eu mais gostei de toda a minha viagem. Eu aprendi muitas coisas e tenho certeza que mudou minha personalidade e meu jeito de pensar, são experiências que fazem a gente refletir e dar muito valor a coisas que passavam despercebidos. O crescimento pessoal vale muito a pena!

8.Aprendizado

O aprendizado faz parte da vida e todos os dias estamos aprendendo um pouco, porém quando estamos em um país diferente e sozinhos a quantidade de aprendizado é enorme. Aprendemos palavrinhas novas, expressões, cultura, jeitos de se proteger do frio, administrar o dinheiro, administrar o tempo, se planejar, se organizar, cuidar de nós mesmos e muito mais. Eu, particularmente, aprendi vivendo a cultura canadense e fiquei apaixonada, é uma educação e até uma preocupação com o próximo exemplar.

9.Fotos

Com uma viagem pra lugares diferentes é possível fazer um álbum com fotos maravilhosas. Tirei muitas fotos e se pudesse teria tirado muito mais. São recordações que se eternizam com apenas um click.

10.Lembranças

O que foi vivido em um intercâmbio ficará pra sempre na lembrança! Eu tenho muita saudades da minha viagem e vou levar pra sempre comigo todas as memórias. É sem dúvidas a melhor experiência da minha vida até agora.

É claro que há pontos negativos, como tudo na vida, porém eu acho que todo mundo deveria pelo menos uma vez na vida viver essa experiência.

Beijinhos :*