Pontos negativos de um Intercâmbio

Eu fiz um post há um tempinho atrás falando sobre os pontos positivos de um intercâmbio e achei que fiquei devendo um post sobre os ponto negativos, até porque fazer uma viagem pra fora e ficar sozinha em outro país não é assim tão fácil.

 Saudades

Gente, da muita saudades da família, dos amigos, do namorado, da nossa casa, das coisas que estamos acostumados a fazer no dia a dia. É uma saudade que eu não conseguia segurar e, confesso, que desligava o skype, principalmente, com a minha mãe a caia no choro. Chorava muito, ligava toda hora, mandava mensagem e vivia falando com meus parentes, amigos e namorado o tempo inteirinho.

A hora que mais batia essa saudade era quando eu chegava em casa e quando eu ia dormir, mas aprendi a lidar com isso, infelizmente, na marra e deu tudo certo.

 Comida

Eu fiquei em casa de família, então tomava café da manhã e jantava em casa. infelizmente, eu sou muuuito chata pra comer, e a minha família cozinhava umas coisas bem estranhas. O café da manhã eu geralmente só comia banana ou pão de forma com manteiga e suco de laranja de garrafão porque o que eles preparavam não estava na minha lista de comidinhas comíveis as sete horas da manhã: ovos com bacon, hambúrguer de peixe com um molho estranho, wrap (esse eu comia quando era de frango)  salsicha com ovos mexidos, hamburguer normal, e tinha um outro prato que eu nunca identifiquei.

Na janta sempre era arroz (sem tempero), alguma salada e uma carne de porco, eu não gosto de carne de porco, então comia basicamente arroz, salada e alguma outra mistura que tinha. Algumas preciso confessar que eram ótimas, mas a maioria eu ficava tensa na hora da janta. Uma vez tinha peixe, mas o problema é que o peixe tinha escamas. Imaginem isso! 😦

No path (cidade subterrânea que tem em países que há muita neve) embaixo da minha escola tinha um tipo de praça de alimentação, então eu almoçava bastante lá quando tinha que ser rápido, ou tava nevando muito, ou por algum outro problema que não desse pra sair na rua. La a maioria dos restaurantes eram de comidas orientais, ok, eu gosto de comida japonesa, mas lá não era comida japonesa que estamos acostumados a comer aqui no Brasil, eram uns pratos estranhos e que eu sofri pra comer. Nas últimas semanas achei um restaurante que servia wrap, comia wrap quase todos os dias.

Pra vocês terem um ideia, eu emagreci 7 (sete) kilos em um mês!

IMG_0087

IMG_0207

Transporte

Lá tudo que você for fazer é de transporte público, então se você quer ir ao shopping, não compre muitas coisas, porque se não, você não aguenta segurar todas as sacolas e seus braços vão doer muuito no trajeto até chegar em casa!

A minha maior tristeza foi ir em uma outlet e não poder comprar mais coisas porque não aguentava mais a dor das sacolas nos meus braços.

E se você for baladeiro, se prepara! O metrô fica aberto só até 00h e abre somente as 9hrs do dia seguinte. Morria de medo de chegar tarde em casa, o último ônibus que passava perto da minha casa passava as 22:30hrs e nem um minuto a mais, ou seja, se perdesse o ônibus das 22:30hrs ia precisar arrumar um taxi ou rezar muito.

Uma coisa que eu achei engraçado, é que o pessoal usa o transporte público pra tudo, então é super comum ver bicicletas, carrinhos de bebê, equipamentos de hockey dentro dos ônibus e dos vagões.

Ps: Toronto anoitece umas 17hrs no mês de janeiro/fevereiro e depois que anoitece a cidade fica deserta, eu não via quase ninguém na rua, achei isso bem diferente nos primeiros dias, mas depois eu entendi, quem vai querer ficar na rua quando ta -20 graus?! Faz super sentido.

 Compras

Como disse no item acima, é bem complicado fazer compras quando você tem que andar o shopping inteiro com milhões de sacolas e depois andar de transporte público com as mesmas.

Outra coisa que é terrível, é quando a gente entra nas lojas com um milhão de sacolas e a loja é apertada. Não conseguia ver as roupas direito pq precisava segurar as sacolas e ficava trombando com as pessoas o tempo todo.

Provar roupas era uma coisa meio complicada também, não sabia exatamente qual era meu número de calça e precisava pegar uns três tamanhos até acertar o meu número.

Uma dica: Quando for em outlet, leve uma mala de rodinhas! É o melhor jeito de poder comprar tudo que você quer e conseguir levar pra casa depois e não se machucar.

 Roupas de Frio

Roupa de frio é lindo, da um up no visual, mas usar duas/três calças, umas 5 blusas, cachecol, luvas, três meias e toca todo santo dia não é uma tarefa muito fácil. Eu precisava começar me arrumar no quarto e terminar de me arrumar no hall da sala antes de sair.

Dentro dos ambientes era bem quente, temperatura normal, por volta dos 25 graus, então quando eu entrava nos lugares precisava tirar minhas milhões de blusas, toucas, luvas e cachecol e quando eu ia sair dos ambientes fechados, todo o ritual novamente. Era um tira e põe de roupa que cansava.

Além desse tira e põe de roupas, quando a gente entrava nos lugares eu colocava minhas roupas dentro de uma mochila que eu andava pra cima e pra baixo com ela, até ai ok, o ruim era quando as roupas não cabiam na mochila e eu precisava ficar carregando na mão, e isso geralmente acontecia nos shoppings. Era um terror experimentar roupa com várias roupas no corpo. Demorava umas três vezes mais pra sair do provador e muitas vezes isso me fez comprar roupas sem experimentar.

 Controle Financeiro

Se você não sabe lidar com o dinheiro, é bom fazer um teste antes de viajar. Lá você precisa ter muito controle com seus gastos ou você terminará sua viagem sem um centavo no bolso.

Nesse quesito eu não sofri muito, sempre soube lidar bem com isso, mas vi algumas amigas passando sufoco por comprar muitas coisas no início da viagem e no fim não ter quase dinheiro pra almoçar.

Independência

Lavar louça, arrumar o quarto, limpar o quarto, lavar roupa, passar roupa, cuidar das suas coisas. Você já fez tudo isso sem a ajuda de ninguém? Se não, é melhor ir se preparado pra fazer! Felizmente na minha casa eu só precisava cuidar do meu quarto, o resto a minha querida mãe canadense fazia. Ela lavava roupa de sábado e devolvia na segunda feira, porém ela não passava roupa e nem tinha ferro de passar, então eu usava as roupas amassadas ou passava com o secador, isso era bem chato de fazer.

O que passava muito na minha cabeça era: e se acontecer alguma coisa que eu não saiba me virar sozinha, como minha mãe vai me ajudar? Pois é, ela não vai! Então, se eu me via em um situação que aqui em casa eu ligaria pra minha mãe e ela rapidamente resolveria pra mim, isso não aconteceria lá. Uma coisa foi boa porque aprendi na marra me virar sozinha, mas isso me amedrontava um pouco.

IMG_0290Ps: Essa era a vassoura e a pá que eu usava pra limpar meu quarto, era minúscula e parecia de bruxa hahahahha

Carência

As pessoas não se abraçam no Canadá! Eu chegava em casa querendo um abraço, um carinho, um colo e não tinha isso! Fiquei muito carente e sempre que podia ligava pro meu namorado e pra minha mãe com a tentativa que eles matassem essa carência dentro de mim, eles faziam o possível, mas nada melhor que um abraço de verdade pra curar esse sentimento dentro da gente, e o melhor sentimento do mundo foi quando cheguei no aeroporto e eles estavam todos lá com muito carinho pra me dar.

Frio

O frio é relativo se é um ponto positivo ou negativo, eu escolhi um lugar gelado pra ir e amei! Mas precisei ficar bem espertinha pra não congelar alguns membros, como a ponta do nariz, a orelha, os dedos e os cílios.

Um dia fui em um parque e minha bota acabou molhando por causa da neve e meu pé ficou encharcado, esse dia foi bem complicado e eu passei muito frio.

Sempre que eu tirava alguma peça de roupa em ambientes abertos era por muito pouco tempo, caso contrário, eu começava a sentir dor de tanto que doía.

Acho que vou parar esse post por aqui antes que alguém desista de viajar! Brincadeirinha!

Mesmo fazendo um post com os pontos negativos, vocês podem reparar que muitos itens são os mesmos que o post dos pontos positivos e por que isso? Porque mesmo sendo coisas negativas a gente acaba aprendendo e crescendo com essas dificuldades e no futuro se tornam aprendizados para toda a vida.

Eu amei cada minuto da minha viagem e recomendo muito uma experiência dessa. Saiba qual é seu limite, se você é uma pessoa apegada a sua família, mas quer um intercâmbio, faça como eu, viaje apenas um mês e faça um teste. Já, se você acha que aguenta ficar um ano fora, seja corajoso e vai com fé. Toda experiência é válida!

Espero que tenham gostado desse post e se tiverem alguma dúvida ou qualquer outra coisa deixe no comentário que a gente conversa.

Beijinhos :*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s